MARCO CONCEITUAL

INFORMAÇÃO GERAL E OBJETIVOS

HISTÓRICO


Evento

Mensagem de boas vindas

Durante os dias 3, 4, 5, 6 e 7 de maio de 2016 será realizado na cidade de Florianópolis (Brasil), o II Congresso Ibero americano de Gestão Integrada de Áreas Litorais: Governança para os Serviços Ecossistêmicos das Costas e Oceanos (GIAL 2016), organizado pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) e a Rede Ibero americana de Manejo Costeiro Integrado (IBERMAR), em colaboração com a Universidade Federal de Rio Grande (FURG), a Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) e a Universidade de Cádiz (UCA).

A realização do evento é de grande relevância para a construção conjunta dos conhecimentos sobre a costa, o mar e sua gestão. Consideramos que, além da atividade de formação que define eventos desta natureza, os mesmos contribuirão para estabelecer e consolidar pontos de contato na região Ibero americana, e representam plataformas para o intercâmbio de conhecimentos e experiências entre as autoridades/gestores/instituições acadêmicas/centros de pesquisa e movimentos sociais, com elevado potencial aplicável as ações de planejamento e gestão da zona costeira e marinha.

Assim, o GIAL 2016 se entende como uma plataforma para a divulgação, discussão, intercâmbio de conhecimentos, formação e capacitação, para contribuir com o cumprimento dos compromissos globais e regionais assumidos pelos países ibero americanos, relacionados com a gestão integrada e sustentável dos espaços e dos recursos costeiros e marinhos desta região, com vista ao bem estar humano.




Marinez Scherer
Presidente do Evento

HISTÓRICO

O GIAL 2016 propõe dar continuidade as tarefas iniciadas na elaboração de um marco regional para a troca de experiências e conhecimentos, para melhorar a governança para a sustentabilidade costeira na Ibero américa, dando continuidade e aprofundando nas metas propostas no I Congresso Ibero americano de GIAL. O primeiro Congresso GIAL, realizado nos dias 25, 26 e 27 de Janeiro de 2012, na cidade de Cádiz (Espanha), contou com a participação de mais de 300 representantes de 20 países de Ibero américa. Foram apresentados mais de 200 trabalhos relacionados com a gestão costeira e seus recursos. Além do êxito do evento, foi elaborada a Declaração de Cádiz , a partir das conclusões de todos os especialistas que participaram do Congresso, constituindo um chamamento para os principais líderes políticos, justificando a necessidade de um compromisso e fortalecimento da governança das áreas costeiras ao redor do mundo, enfatizando a Ibero américa. Esta declaração foi apresentada no mesmo ano, na reunião de Chefes de Estado e Governo da Comunidade Ibero americana de Nações, na XXII Cúpula Ibero americana, realizada em Cádiz (Andalucía, Espanha). Pode-se acessar as publicações do I GIAL através deste link




INFORMAÇÃO GERAL E OBJETIVOS

O II Congresso Ibero americano de Gestão Integrada de Áreas Litorais (GIAL) enfatiza nesta segunda edição a “Governança para os Serviços Ecossistêmicos das Costas e Oceanos”.

Na primeira edição, celebrada em Cádiz em 2012, constatou-se que a visão geral da Gestão Integrada de Áreas Litorais está ainda, em processo de consolidação na Ibero américa, apesar da existência de oportunidades derivadas da herança histórica e cultural comum, que facilitam uma iniciativa de cooperação na região, além do intercambio de conhecimentos e experiências. Neste sentido, o novo evento apresenta dois objetivos básicos: facilitar sinergias e formas de cooperação para a gestão costeiro-marinha, assim como avançar em direção à governança para os serviços ecossistêmicos das costas e oceanos. Para alcançar esses objetivos, o evento pretende tornar-se uma plataforma para a formação, divulgação, discussão e intercâmbio de conhecimento e experiências entre autoridades, administrações, empresas, instituições, universidades, centros de pesquisa e movimentos sociais. Todos estão convidados a participar neste evento de interesse internacional e nas atividades de interesse científico e técnico que serão desenvolvidas como parte do mesmo.

Devido ao âmbito ibero americano do Congresso, os idiomas oficiais serão o espanhol e o português. Não obstante, serão aceitas comunicações em inglês (resumos e pôster).

Declaração de Florianópolis: Um dos objetivos do evento será a construção conjunta entre os assistentes e os membros da Comissão Científica, de um “roteiro para a governança dos serviços ecossistêmicos das costas e oceanos”, com a aspiração de que sirva de referência para tomadores de decisões e para a comunidade científica.

MARCO CONCEITUAL

No II Congresso Ibero americano de GIAL, entende-se a Gestão Integrada de Áreas Litorais (GIAL 2016) - como sinônimo de Gestão Integrada de Zonas Costeiras (GIZC), Manejo Costeiro Integrado (MCI), ou Integrated Coastal Zone Management (ICZM) - como um processo dinâmico, contínuo e interativo, destinado a promover o desenvolvimento sustentável, mediante a integração de políticas, objetivos, estratégias e planos setoriais no espaço e no tempo, assim como a integração dos componentes terrestres e marinhos do litoral. Trata-se, portanto, de um instrumento a serviço de uma política pública, baseado na cooperação e na participação (Barragán Muñoz, J. M., 2003).

Nesta segunda edição, se enfoca também na governança para os serviços ecossistêmicos das costas e dos oceanos. A gestão baseada em ecossistemas, ou EBM (por sua sigla em inglês), é uma abordagem que une ao ser humano e a saúde do meio ambiente, já que os ecossistemas prestam serviços naturais valiosos ou “serviços ecossistêmicos” para as comunidades humanas, reconhecendo a complexidade dos ecossistemas, as conexões entre eles, os vínculos com a terra e a água doce, assim como sua integração com os seres humanos. Sua aplicação no ambiente marinho e costeiro é relativamente nova, ocorrendo em resposta ao estado de deterioração de seus ecossistemas. A manutenção dos serviços ambientais é essencial para a preservação da biodiversidade e das atividades socioeconômicas. Esta necessidade coincide com as “Metas de Aichi” de Biodiversidade, definidas no contexto do Plano Estratégico de Biodiversidade para o período de 2011 a 2020.